3 cidades que já conheci e me mudaria hoje!

Sempre quando rola um assunto de viagem nas rodas de amigos e alguém vai viajar para um destino que eu já estive, eu acabo me tornando um guia de viagem – o que eu gosto muito :).

Acredito que de certa forma todo mundo que é “o amigo/a amiga viajante já passou por isso, e de certa maneira acaba sendo tendencioso com os locais que mais gostou e/ou onde teve as melhores experiências de vida.

Fora as situações das dicas, é muito comum que outras duas perguntas aconteçam:

1. Qual lugar você mais gostou?

2. Pensou em morar lá? / Você moraria lá?

A segunda talvez aconteça com frequência comigo pelo fato dos meus amigos e conhecidos saberem que eu pretendo zarpar do Brasil em algum momento. E para onde eu iria hoje se tudo estivesse ok?

Eu tenho em mente 3 cidades que eu me mudaria hoje sem hesitar, e vou compartilhar com vocês.

As 3 cidades que eu me mudaria hoje

Vou listar as  3 cidades por ordem de prioridade e contar um pouco o que me agradou ou não, para eu querer mudar para lá.

1. Perth, Austrália

Estrada à caminho do deserto

Estrada à caminho do deserto

A minha 1ª opção sem dúvida seria Perth por uma razão. Eu morei lá por quase 7 meses em 2010.

Já sei o que me agrada e o que não me agrada, sei como é o clima – ao menos na primavera/verão -, sei como é o mercado de trabalho, sei como é a cultura, ou seja, sei o que esperar de lá.

Austrália é um país que me encantou muito, muita beleza natural, muitas praias e muita sensação de liberdade.

Centro comercial de Perth vista do lado de South Perth

Centro comercial de Perth vista do lado de South Perth

Encontrei uma cidade de 2 milhões de habitantes SUPER DESENVOLVIDA.

  • Supermercados com caixas automáticos para fazer as compras (isso mesmo, você passa, embala e paga suas compras sozinho).
  • Ônibus que passa no horário certo, mesmo horário estando marcado para 11:27am.
  • Pessoas educadas e boa prestação de serviço.
  • Desigualdade social baixa o que resulta em um índice baixíssimo de violência.

A segurança é um ponto importante também, os maiores problemas que vi por lá eram brigas causadas pelo consumo excessivo de bebida alcóolica e na maioria eram casos com jovens.

Então você pergunta: Não existe violência lá?

Sim, existe mas que não chega nem perto do que vivemos no Brasil.

Pelo fato dos salários serem justos em todas as áreas,  a desigualdade social é baixa, por exemplo, não é comum um gerente receber um salário 7~10 vezes maior que o cozinheiro do mesmo restaurante, ou seja, as pessoas conseguem ter dinheiro para comprar o iPhone em uma loja no fim do mês.

Casa em Highgate onde morei

Casa em Highgate onde morei

Ponto extra: A facilidade de fazer viagens dentro da Austrália, por ser um país que incentiva roadtrip (viagens por estrada, com carros, motor homes, bicicletas se tiver coragem) e também para fora, afinal é possível conhecer vários países da Ásia(não só sudeste asiático).

Essa imagem abaixo é do meu planejamento de viagem na época que morava lá, mas infelizmente não viajei, que também é pauta pra outro artigo. Veja os preços:

Planilha de gastos planejamento Ásia 2011

Planilha de gastos planejamento Ásia 2011

Duvida? Entra no site da AirAsia ou TigerAir e veja quantos dólares são necessários para fazer viagens por lá.

2. Berlim, Alemanha

Berlim entrou na minha lista de forma despretensiosa. Eu sempre ouvi de diversas pessoas que Berlim era uma cidade sensacional, mas definitivamente não era uma cidade que estava na minha lista de visitas próximas.

Estive em Berlim na viagem que fiz para Alemanha este ano. FIQUEI doido com essa cidade, gostei de todas as outras que passei durante a viagem, mas no meu segundo dia em Berlim eu já estava alucinado por aquele lugar.

I love Berlim

I love Berlim

Nunca tinha visitado um lugar tão cosmopolita quanto Berlim. Pessoas de todas os estilos, rua de lojas hipsters, uma cultura de cafeteria que não se compara com nada que já vi.

Pessoas falando inglês para todo lado – isso mesmo, inglês –, muita história em cada pedaço, como o bairro de Kreuzberg (se pronuncia “Cróisberg”) que hoje é considerado um bairro nobre, mas já foi um bairro onde os anarquistas se encontravam (ainda tem muitos bares anarquistas por lá). Toda essa mistura tem uma atmosfera que é difícil explicar.

Canael em Kreuzberg Berlim

Canael em Kreuzberg Berlim

Talvez eu tenha ficado atraído pelo fato de Berlim ser um grande polo de Startups na europa e consequentemente a possibilidade de conseguir um emprego seria “mais fácil”, ou talvez pela cultura de cafés que me agrada muito e o ritmo de vida bem menos acelerado que o nosso.

Imagina ir de bike pro trabalho todo dia?

Quem sabe foi pela vasta opção gastronômica: almoço no Sírio Libanês e jantar no Tailandês?

Cafeteria Bonanzza em Berlim

Cafeteria Bonanzza em Berlim

Jantar restaurante tailandes em Berlim

Jantar restaurante tailandes em Berlim

De ponto negativo, acredito que o frio seja o pior de todos e aprender Alemão também não é das coisas mais fáceis. Ainda assim, ter ficado apenas 4 dias é muito pouco tempo para encontrar problemas.

De uma coisa eu sei, Perth perderia para Berlim em um quesito, consigo chegar lá em 10h de voo. =D

3. Amsterdã, Holanda

Amsterdã com seus canais cortando o centro e suas ruas lotadas de bicicletas também me traz essa vontade de querer partir logo pra lá. Assim como Berlim, não tem muito como explicar, quando você passa pouco tempo você se encanta pelo que vê e pelas experiências que tem.

Monumento I Amsterdam lotado

Monumento I Amsterdam lotado

Sobre Amesterdã fiquei maravilhado pelas mesmas razões que Berlim. Encontrei uma cidade cosmopolita, com um ritmo de vida tranquilo e com um ar muito acolhedor, ou melhor, receptivo.

Muitos pontos turístico, parques para lazer, a história do re-planejamento urbano para locomoção da pessoas trazendo as bicicletas de volta (é isso mesmo, lá já esteve lotado de carros também). E como sempre tudo isso melhorando a qualidade de vida me levariam para lá como 3ª opção.

Tanto Amsterdã quanto Berlim, eu passei muito pouco tempo para avaliar de fato. Na minha opinião é preciso entre 3 e 6 meses em qualquer lugar do mundo para você saber se o ritmo de vida local serve para você. Vou continuar rodando o mundo e atualizando essa lista. Talvez quando eu for atualizá-la novamente eu já esteja em alguma dessas cidades.

E você, qual lugar você já visitou e que você se mudaria hoje se pudesse? Deixe um comentário. Se tiver alguma dica também deixe um comentário. 🙂

Abraços e make it count!

Comentários

Comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *