Foz do Iguaçu em 4 dias

Aproveitei o mês de janeiro para fazer uma viagem de 4 dias por Foz do Iguaçu. Muitas pessoas ficam lá somente um final de semana, mas na minha opinião, 4 dias são perfeitos para explorar o máximo possível a região. As cataratas são incríveis e merecem dois dias inteiros de turismo. E no restante dos dias, existem outras atrações interessantes.

Fui de avião numa quarta-feira à noite, porque eu já queria acordar lá no dia seguinte para aproveitar. Eis aqui o meu roteiro:

Dia 1:

O transfer do hotel (vários hotéis em Foz possuem transfer para levar e buscar os hóspedes nos pontos turísticos em horários pré-estabelecidos) nos levou para o Parque das Aves, que é um lugar com aves de todos os tipos que você pode imaginar. Tem tucanos, águias, flamingos…

Após conhecer o Parque das Aves, é só atravessar a rua que você está no Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu. O Parque Nacional é muito bem cuidado e tem um ônibus (tipo city tour) que leva os turistas a diversos pontos do parque. São vários pontos ao longo do parque e logo no início você recebe um mapa para se localizar e escolher quais lugares quer parar. Nós fomos logo para o ponto onde tem o primeiro mirante com vista para as cataratas. Muito lindo. Ouvir o barulho daquela água toda caindo é sensacional!!

Mirante

Mirante

 

Vista do mirante

Vista do mirante

Depois fomos andando ao longo do caminho que vai cercando as cataratas. (Pausa para uma dica importante: melhor ir de tênis. Você caminha o dia todo, então com tênis é mais confortável).

Incrível

Incrível

Após seguir o caminho paralelo às cataratas, você chega na parte onde tem algumas pontes para chegar pertinho delas. Demos muita sorte porque todas as pontes estavam liberadas. Em época de cheia, algumas pontes ficam fechadas por causa do grande fluxo de água.

Além da sorte de pegar as pontes abertas, ainda flagramos essa linda borboleta

Além da sorte de pegar as pontes abertas, ainda flagramos essa linda borboleta

Perto dessas pontes, há um elevador que leva para a praça de alimentação. Depois de tanto andar, era hora de fazer um lanchinho e descansar curtindo o visual. Após descansar, pegamos o ônibus do parque que nos levou ao ponto onde fica o passeio chamado Macuco Safári (passeio de barco para tomar banho nas cataratas. Falo tomar banho, porque não tem como fugir, você fica 100% molhado. Um passeio imperdível!!). O ônibus te deixa num ponto onde tem um guia que irá te levar até o local em que o barco sai (tem que seguir uma trilha, mas nada fora do normal).

Eu e meu marido no Macuco Safari

Meu marido e eu no Macuco Safári

Dia 2

O transfer do hotel nos levou para o Paraguai, onde passamos o dia fazendo as famosas compras. O lugar que mais gostamos foi o shopping Monalisa, inclusive almoçamos por lá. O Shopping Del Este também é legal. Voltamos de transfer para o hotel e de noite saímos para comer uma pizza em Foz. Conhecemos um taxista muito gente boa que acabou virando nosso guia nos próximos dias. Demos muita sorte em relação a isso!

Dia 3

Acordamos bem cedo para ir para as cataratas no lado argentino. Fomos com o taxista. Chegamos na hora do parque abrir. No lado argentino, a gente vê de perto as cataratas que vimos de longe pelo mirante no lado brasileiro. Esse parque tem muita caminhada, então é melhor ir de tênis. Passamos a manhã toda explorando o parque, que é incrível.

Lado argentino

Lado argentino

Quando chegou a hora do almoço, fizemos um lanche. Outra coisa boa do parque argentino é que vende alfajor Havanna. Amo muito!

Depois pegamos um trenzinho dentro do parque para nos levar para onde fica a famosa Garganta do Diabo, o lugar mais irado das Cataratas, onde fica a maior queda. O trem deixa a gente num ponto e, a partir daí, temos que dar uma boa caminhada para chegar à Garganta do Diabo. Por isso que digo que é melhor ficar mais do que um final de semana. Geralmente quem fica somente dois dias não consegue conhecer essa parte.

Trem

Trem

Caminho para a Garganta do Diabo

Caminho para a Garganta do Diabo

Garganta do Diabo

Garganta do Diabo

Após esse passeio, o taxista nos aguardava na saída do parque. Nos levou para o Free Shop argentino e para a tríplice fronteira do lado argentino (como é uma área com fronteiras entre Brasil, Argentina e Paraguai, cada país tem sua escultura representando a tríplice fronteira).

Tríplice Fronteira - Argentina

Tríplice Fronteira – Argentina

O dia foi intenso, mas não acabou por aí. Fomos para o hotel, nos arrumamos e à noite fomos para o Show de Luzes na Hidrelétrica Itaipu, que é chamado de “Iluminação da Barragem”. Esse passeio foi dica do taxista e nós ficamos muito agradecidos, porque foi muito legal! Além de ver o show de luzes, a gente andou no ônibus da usina para conhecê-la. Atenção: Para esse passeio noturno na hidrelétrica, é necessário comprar com antecedência.

Dia 4

Gostamos tanto de Itaipu que resolvemos voltar para conhecê-la durante o dia. Foi isso que fizemos na parte da manhã.

Itaipu

Itaipu

Demos muita sorte e pegamos o vertedouro aberto. Ele só fica aberto no máximo 20% do ano.

Vertedouro

Vertedouro aberto

Depois fomos para a tríplice fronteira do lado brasileiro. Lá tem uma linda vista, vale a pena a visita.

Tríplice fronteira - Brasil

Tríplice fronteira – Brasil

E assim terminou a nossa viagem! Espero que tenham gostado do roteiro. Aproveitamos cada minuto nesse lugar incrível!!

Leia também: Pantanal, um dos lugares mais incríveis do Brasil

Comentários

Comentário

Renata, mais conhecida como Renatinha, é uma pessoa que ama aprender sobre diversas culturas. Brasileira, apaixonada pelas belezas naturais do país e com muita vontade de viajar pelo mundo todo. É apaixonada também por leitura e fotografia e aproveita as viagens para investir nesses hobbies.