EDC México 2016 – eu fui!

Quem acompanha o Trupe da Trip sabe que adoramos música eletrônica e sempre que dá, a gente marca presença em algum festival. Em dezembro de 2015, fui ao EDC (Electric Daisy Carnival) que rolou no Brasil. O EDC tem diversas edições ao longo do ano em vários lugares diferentes. Em fevereiro deste ano de 2016 ocorreu o EDC México, na Cidade do México e adivinhem? Marquei presença! 🙂

Marcando presença no EDC Mexico 2016

Marcando presença no EDC México 2016

EDC – Electric Daisy Carnival

O EDC é um dos maiores eventos de música eletrônica no mundo e reúne os melhores DJs. São vários palcos onde ocorrem shows simultâneos, muitas barracas de comida e bebida, brinquedos de parque de diversão. Ou seja, pura alegria! 🙂

É um parque de diversões? Melhor que isso! É o EDC!

É um parque de diversões? Melhor que isso: é o EDC!

O evento percorre o mundo. Neste ano, por exemplo, a primeira edição foi no México (27 e 28 de fevereiro) e já estão confirmadas outras edições: EDC NY (14 e 15 de maio), EDC Las Vegas (17 a 19 de junho), EDC UK (9 de julho) e EDC Japão (em julho). Provavelmente haverá o EDC Brasil de novo em 2016. O fundador do evento comentou isso no Instagram, mas ainda não tem nada confirmado. Vamos aguardar e ficar na torcida!

EDC México 2016– o que rolou?

O evento aconteceu no Autódromo da Cidade do México, capital mexicana, nos dias 27 e 28 de fevereiro. Como eu estava de viagem marcada para o México, aproveitei a ocasião para curtir mais um EDC.

Na porta do evento tinha um comércio de roupas e acessórios com temáticas do evento

Na porta do evento tinha um comércio de roupas e acessórios com temáticas do evento.

Fui ao festival nos dois dias e amei! Tive uma ótima impressão sobre os mexicanos. O festival foi super organizado, não vi confusão, empurra-empurra, nem brigas. Todo mundo estava feliz e se divertindo na boa. Na saída do evento, a região estava com muito policiamento, tornando bem tranquila a vida de quem estava indo ao EDC. Só o trânsito na rua que estava caótico. Aliás, no Brasil foi a mesma coisa, a rua da entrada do festival ficou engarrafada. Por isso, a dica é se hospedar em algum lugar por perto para não passar aperto e poder caminhar até o local (foi o que eu fiz), ou então pegar algum transporte que não dependa de trânsito, como o metrô.

Gostei muito da animação do pessoal. Muita gente estava fantasiada de tudo que você pode imaginar: angry birds, shrek, índio, vaquinha, zebrinha, fada, etc. Vários mascarados também: aquela máscara de cabeça de cavalo é sensacional! Muitos cartazes, alguns fazendo referência aos DJs, outros fazendo piadas e com fotos engraçadas. Vi algumas bandeiras também. Levei a do Brasil e vi outros brasileiros com bandeiras lá também. Vi bandeiras dos EUA, Suécia, Chile, Israel e do México, claro. Alguns mexicanos pediam para tirar foto com a bandeira brasileira ou passavam por nós gritando “Brasil, Brasil”. Enfim, dá para perceber que festival de música eletrônica é igual em vários lugares do mundo, todos com a mesma vibe e o mesmo objetivo: entretenimento.

O festival começou às 14 horas e foi até às 2 da manhã nos dois dias.

EDC Mexico 2016

EDC México 2016

Mapa do evento: mega produção!

Mapa do evento: mega produção!

Esse rádio é d+! É tipo um trio elétrico. Fica um DJ lá dentro tocando e o pessoal acompanhando o rádio hahahahaha

Esse rádio é d+! É tipo um trio elétrico. Fica um DJ lá dentro tocando e o pessoal acompanhando o rádio para onde ele for hahahahaha. No EDC Brasil também teve esse rádio.

Dia 27 de fevereiro:

Como eu cheguei ao México no dia 27 mesmo, ficou tudo muito corrido e infelizmente não consegui pegar o show do DJ brasileiro, o Vintage Culture. Queria ter ido! 🙁 Só fui ao evento na parte da noite (o Vintage tocou à tarde).

Fui ao show do Martin Garrix. Foi a segunda vez que fui ao show dele (ele tocou também no EDC Brasil) e já quero ir pela 3a, 4a, 5a vez. Dá para ir pra sempre? Hehehe. Adoro o Martin Garrix, o show é muito animado, um hit de sucesso atrás do outro. Como não pular com ele? 🙂

Depois de pular bastante, ainda tinha mais: Alesso. Gente, me segura que eu sou muitoooo fã do Alesso e esse foi o primeiro show dele que eu fui. Como explicar a emoção? Ele não decepcionou nadinha, pelo contrário, o show foi surpreendente. Ele tocou várias músicas iradas (além das dele) e tentou várias coisas novas ao vivo. Ele é o máximo, eu amei! Quero mais, quero mais! \o/

Palco principal do EDC Mexico 2016

Palco principal do EDC México 2016

Dia 28 de fevereiro:

Esse foi o dia com a melhor line up, na minha opinião, pois era um DJ muito bom atrás do outro. Ou seja, fui preparada para pular por 5 horas e meia direto hahahahaha. É que eu queria acompanhar os shows do Oliver Heldens, Nicky Romero, DJ Snake e Axwell e Ingrosso, e um tocou depois do outro dando no total cinco horas e meia de muitos pulos, gritos e animação. Haja fôlego! 🙂

O show do Oliver Heldens foi ótimo! Ele manda muito bem. Eu adoro a música Shades of Grey e ele abriu o show com a música nova dele com Tiesto: The Right Song. Ou seja, abriu literalmente com a música certa (desculpem a piada sem graça hehehehe). Foi minha segunda vez num show dele (ele também tocou no Tomorrowland Brasil).

O do Nicky Romero dispensa comentários, é um dos meus DJs favoritos. Ele tocou várias músicas novas. Pulei bastante! Uhul!

O DJ Snake era muito aguardado, principalmente por causa do hit “Lean on”, que eu já devo ter ouvido mais ou menos 18485732 vezes (adoro essa música e não me cansei até agora). Se as pessoas já estavam pulando muito, no show do DJ Snake pularam mais ainda (eu nem sabia que era possível pular tanto hahahaha). Tive a impressão que foi o show mais animado.

EDC Mexico 2016

EDC México 2016

Para mim, o show mais aguardado era o dos meus queridinhos: Axwell ^ Ingrosso. Sério, eu amo as músicas deles! “Something New” toca no fundo da minha alma, não dá para escutar essa música e ficar indiferente. Foi a terceira vez que fui a um show do Axwell (sim, terceira vez! Axwell vive indo ao Brasil, muita felicidade!) e a primeira vez num show do Sebastian Ingrosso (a primeira vez a gente nunca esquece, certo? O que é a música Reload? Quando toca fico doida!). Como foi o show? PERFEITO! Fico imaginando como devia ser os shows do Swedish House Mafia.

E assim, depois de muita gastação de energia e calorias (hahahaha juro, festival de música eletrônica é melhor que qualquer aula de spinning ou jump), o EDC chegou ao fim. Valeu a pena. Gostei de ir a um festival em outro país, foi uma experiência muito legal.

Agora é aguardar o próximo evento!

Comentários

Comentário

Renata, mais conhecida como Renatinha, é uma pessoa que ama aprender sobre diversas culturas. Brasileira, apaixonada pelas belezas naturais do país e com muita vontade de viajar pelo mundo todo. É apaixonada também por leitura e fotografia e aproveita as viagens para investir nesses hobbies.

One thought on “EDC México 2016 – eu fui!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *