Berlim, a cidade mais legal da Europa

Estive em Berlim em Maio de 2015, em uma trip que visitei quase toda a Alemanha, e fiquei completamente encantada pela cidade!

Bike friendly, descolada e arrojada, Berlim é o clássico sinônimo de uma cidade cosmopolita.

Depois que voltei e procurei saber mais sobre ela, descobri que o slogan da campanha turística da cidade é: “Berlin, the place to be” (em português: “Berlim, o lugar para se estar”) e não é para menos, vi prédios situados em bairros de classe operária, do antigo lado comunista, que após a queda do muro, ficaram abandonados e se tornaram co-workings, ateliês, galerias de arte e cafés maneiríssimos, completamente grafitados e cheios de estilo.

Passei uma tarde andando de bicicleta em uma antiga pista de voo, em um antigo aeroporto nazista desativado, que se transformou em um parque público que com frequência recebe festivais de música!

Eu e o muro de Berlim

Eu e o muro de Berlim

Passeio de bike no antigo aeroporto Berlim-Tempelhol

Passeio de bike no antigo aeroporto Berlim-Tempelhol

E as ideias descoladas dos artistas de Berlim não param por aí. Visitei em minha passagem por lá uma árvore biblioteca, já ouviu falar nisso? Pois é, uma árvore onde as pessoas podem pegar quais livros quiserem ler e/ou deixar obras para outras pessoas lerem. Não é preciso se identificar ou devolver os livros, achei tão cool!

Árvore biblioteca em Berlim

Árvore biblioteca em Berlim

Cabines de fotografia instantânea espalhadas por tudo que é lugar, são uma marca registrada da cidade, e não tirar uma foto em uma delas é como ir a Roma e não ver o Papa.

Outra curiosidade é o Ampelmann (os homenzinhos do semáforo, que acendem verde ou vermelho avisando aos pedestres se podem ou não atravessar a rua), e que tem uma história interessante:

Na antiga Berlim oriental, todos os “homenzinhos” usavam chapéus e do lado ocidental os “homenzinhos” eram comuns. Com a queda do muro, era possível ver de que lado da cidade se estava só observando os semáforos (hoje, como o Ampelmann se tornou um simbolo da cidade, a prefeitura acabou utilizando para ambos os lados).

Ampelmann nos sinais de Berlim

Ampelmann nos sinais de Berlim

Por falar em que lado da cidade se estava, essa experiência foi uma das mais legais que vivi em Berlim. A cada lugar que conhecia, eu tentava identificar se era o lado comunista ou capitalista pela arquitetura das construções. Olhar as marcações no chão, por onde o muro passava e tentar imaginar que loucura foi aquilo tudo, me fizeram refletir muito sobre a minha visão política do mundo atual.

Um dos trechos onde Muro de Berlim passou

Um dos trechos onde Muro de Berlim passou

Marcação do muro de Berlim

Marcação do muro de Berlim

Outra coisa que me chamou bastante atenção na cidade foi o transporte público. Os berlinenses praticamente não precisam de carro pra nada! Os taxis são baratos, as ciclovias são funcionais e compreendem grande parte da cidade. Tem metrô, trem, ônibus com paradas programadas e que cumprem os horários informados e os Trams (uma espécie de bondinho). É perfeito!

A extensão das lojas nas calçadas é uma característica super “moderninha” que só havia visto por lá! As lojas expõem seus produtos à venda nas calçadas, sem seguranças ou vendedoras observando e controlando se você põe a mão em uma peça para ver de perto. Algumas ainda colocam sofás e mesinhas com flores para que o cliente se sinta mais confortável em escolher o que comprar, achei super inusitado!

Restaurante em Berlim se preparando para o Happy Hour

Restaurante em Berlim se preparando para o Happy Hour

Palco de um cenário alternativo, Berlim resistiu ao nazismo, a um muro divisor e é tão cheia de histórias, curiosidades através de lugares e coisas pra fazer que não caberia em um só artigo, por isso vou fazer um novo post sobre as atrações turísticas que visitei e minhas experiências em cada uma delas, que deixarão você com água na boca!

Beijos e até breve!

Leia também: Bruxelas – conheça a capital da Bélgica

Comentários

Comentário

Susana, trabalha com produção de eventos e gastronomia.
Suas grandes paixões são seu trabalho, família, Ballet clássico e viagens! Trocar experiências de viagens são sempre seus assuntos prediletos e por isso muito presentes em seu dia a dia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *